Picos de crescimento?! Outra vez?

Há uma expressão que todas as mães que amamentam já ouviram e ouvem constantemente: PICOS DE CRESCIMENTO.

O bebé pede para mamar de hora a hora? É um pico de crescimento.

O bebé não dorme? É um pico de crescimento.

O bebé chora e não quer mamar? É um pico de crescimento.

O bebé pega e larga a mama e mostra-se irritado na mamada? É um pico de crescimento.

O bebé tem 6 semanas, ou 2, ou 3, ou 5, ou 2 meses, ou 3 meses, ou 4 meses, ou…? É um pico de crescimento.

Basicamente, qualquer comportamento do bebé é definido como “pico de crescimento” nos fóruns de mães – e não só… Às tantas, o bebé, todo ele, é um pico de crescimento em continuum.

Os picos de crescimento, como têm sido definidos, são um mito urbano. 

O “problema” é que estamos sempre à procura de padrões e de nomes para esses padrões. Tem de haver uma explicação, com nome, para todos os comportamentos dos bebés de que não gostamos ou que nos afligem de alguma forma. Quando não é um pico de crescimento, são cólicas… Ou dentes… Ou os ‘terrible two’ e por aí fora.

Um pico de crescimento, definido como mamadas frequentes, irritabilidade ao fim do dia, episódios de choro, dificuldade em adormecer ou manter o sono, etc., não é um pico de crescimento… É um bebé! É simplesmente um bebé. Os bebés são assim. Muito voláteis de dia para dia, e ao longo do crescimento, e constantemente a pedir ajuda ao principal cuidador, normalmente a Mãe, para tudo o que precisam – especialmente quanto mais novos são. É imaturidade neurológica. É normal!

A verdade é que não existe evidência de que os bebés mamem mais, durmam menos e fiquem mais irritados em ‘picos de crescimento’! Pelo contrário, há evidência científica de que os bebés, em pico de crescimento, dormem MAIS. E só faria sentido ser assim: é durante o sono que são segregadas as hormonas de crescimento; não quando estamos acordados e irritados!

O conceito de ‘crise do desenvolvimento’ (o bebé está a aprender e desenvolver novas habilidades e isso provoca alterações no seu comportamento) foi introduzido, entretanto, para explicar esta irritabilidade, sono e alimentação alterados e, atualmente, parece ser o que faz mais sentido para explicar estas ‘variações de humor’ – se é que lhes podemos chamar assim – tão frequentes, em bebés menores de 4/5 meses.

Mamar é muito mais do que alimentar-se. Mamar tem uma importante função reguladora e re-organizadora a nível neurológico. Quando estamos ansiosos, preocupados, irritados, etc., procuramos conforto em coisas que sabemos que nos ajudam a acalmar – para nos re-organizarmos e regularmos. Os bebés amamentados, habitualmente, procuram a mama – porque sabem que funciona muito bem. E os bebés que não são amamentados, às vezes, também procuram a mama nessas alturas! É instintivo. O instinto é muito forte.

A frequência da amamentação é variável de dia para dia e ao longo do tempo, e isso é absolutamente saudável, e está longe de se relacionar apenas com necessidades nutricionais e calóricas. Tentar explicar o aumento da demanda de um bebé com necessidades calóricas, apenas, é reduzir a amamentação a leite. A amamentação é muito mais do que leite.

Filipa dos Santos – AL, CAM OMS UNICEF, Doula de parto e pós-parto

Referência:

Infant Growth in Length Follows Prolonged Sleep and Increased Naps. 2011. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3079944

Mais informação aqui: http://porto.amamenta.net/amamentacao-e-fases-do-desenvolvimento-0-12-meses

4 thoughts on “Picos de crescimento?! Outra vez?

  1. Cristina Simão says:

    Olá Filipa dos Santos,
    Tenho uma bebe que faz 4 meses dia 19 e nestes últimos dias anda irritada a mamar, vou trocando de mama alterando posições mas chora e irrita-se com facilidade…como adormece á maminha, está a ser muito exausto, pois ela de noite procura a mama de 1,5 horas e o meu corpo e mente começam a dar sinais de exaustão…pelo que vou lendo parecem -me picos de crescimento, mas o coração de mãe fica intranquilo, principalmente quando sou mãe de primeira viagem e estou sozinha com a minha filha pois o pai está ausente em trabalho. Poderia pelo menos dar-me algumas palavras de conforto, pois os profissionais de saúde colocam em causa a produção de leite e isso eu sei que não é.

    Grata desde já
    Cristina Simão

    • Filipa dos Santos says:

      Olá Cristina, parabéns pelos 4 meses de maminha! Tenho a certeza que está a fazer o melhor pelo seu bebé e tudo o que sabe e consegue para que ele esteja o mais confortável e feliz possível. E ele sabe disso 😉 Às vezes estamos mais irritados, e os bebés também têm dias/momentos assim. Os 4 meses são um marco de desenvolvimento importante e o sono e alimentação costumam ‘sofrer’ algumas alterações porque há muita coisa a acontecer naquelas cabeças e corpinhos pequeninos.
      Se o seu bebé tem crescido sempre bem e a Cristina também sente que não tem qualquer problema de amamentação/produção de leite, é porque está mesmo tudo bem a esse nível e o comportamento do seu bebé nada tem a ver com as maminhas nem com não saber mamar!
      Se vê que essa irritação e dificuldade de manter os sonos e de fazer sestas se mantêm na próxima semana, tenho a certeza que uma consulta de sono infantil vos poderá ajudar bastante a perceber quais as melhores estratégias para que o seu bebé consiga andar mais calmo e melhorar os sonos.
      Pode ver mais sobre o serviço com a nossa especialista de sono aqui: http://porto.amamenta.net/consulta-sono-infantil/
      Um beijinho
      Felicidades

  2. Ana Sofia Peixoto says:

    Boa noite. Raramente escrevo em fóruns ou algo que se pareça mas o desespero começa a falar mais alto. Tenho um bebé com um mês e uma semana e alimento-o a leite materno exclusivamente. Ele sempre foi um bebé preguiçoso a mamar, adormece profundamente em milésimos de segundo sempre que o coloco na maminha. Por muito que o tente despertar e o consiga, ele acaba por adormecer novamente. E isso já se começava a notar no peso. A solução médica foi continuar a dar o peito mas concluir após isto com o biberão. Retiro leite da bomba e no final da mamada, dou em biberão (exclusivamente leite materno). Ultimamente, meu bebé começou a bolsar muito, mais que o normal. E noto que, quando não bolsa, o leite sobe até à boca e volta a descer.. E tenho de o colocar muitas vezes para arrotar, mesmo no espaço entre mamadas. Foi diagnosticado com refluxo, o dito refluxo normal e não o refluxo gastroesofágico pois não faz febre, não tem prisão de ventre e continua a alimentar-se bem. Acontece que, desde ontem, ele chora imenso ao mamar. Não agarra sequer a maminha, tenta até empurra-la com as mãozinhas e tenho sempre de lhe dar o biberão.. E o choro começa a ser desesperante pois chora de fome e, possivelmente, de dor ou desconforto. Sei que pode ser alguma coisa relacionada com o refluxo, mas estes sintomas todos já me parecem de refluxo gastroesofágico e não fisiológico. Mesmo assim continua sem fazer febre. Devo preocupar-me? (mais ainda….?).
    Obrigada.

    • Filipa dos Santos says:

      Olá Ana,

      Parabéns pelo seu bebé!
      Os primeiros dias de vida são realmente um desafio para o novo bebé e para os novos pais!
      Tudo o que descreve são situações que requerem uma análise detalhada e pormenorizada devendo ser acompanhada presencialmente.
      Bebés com refluxo e outros sintomas que aqui nos apresenta podem ter variadas origens e consequências, pelo que analisar virtualmente não é de todo o mais recomendável. Cada bebé e mãe são únicos e diferentes de quaisquer outros.

      Aconselhamos vivamente a procurar uma CAM ou AL (Conselheira em Aleitamento Materno ou Assessora de Lactação).

      Procure-nos em http://www.amamenta.net para vos podermos ajudar!

      Desejamos que resolva a sua questão tão breve quanto possível. Felicidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *