“A minha história de relactação” da Mãe Carolina

Mães contam as suas histórias de como deixaram o suplemento e voltaram a amamentar em exclusivo – algumas tendo já deixado de amamentar totalmente, outras apenas parcialmente – para que outras mães a viver situações semelhantes saibam que é possível deixar suplementos ou manter a amamentação quando é necessário introduzir um.

Relactação

Uma definição simples, poderia ser… Processo de suprimir um suplemento, de forma gradual, para que a amamentação possa voltar a ser a fonte exclusiva/predominante/parcial de leite do bebé. OU processo de voltar a amamentar depois de ter parado durante algum tempo.

IMPORTANTE:
  1. Se for aconselhada a introduzir suplemento contacte uma conselheira de aleitamento materno o mais depressa possível para que possa ser orientada no sentido de manter e recuperar a amamentação;
  2. Aconselhamos que ao fazer uma relactação tenha apoio presencial de um profissional com formação em amamentação; que seja feita gradualmente, em pleno respeito pelas necessidades do bebé e da mãe.
    Se não sabe onde obter apoio, contacte-nos e encaminharemos para alguém próximo.
A Mafalda é a segunda filha da Mãe Carolina. Tem, agora, 5 meses e meio e mama em exclusivo há 3 meses. A Carolina conseguiu deixar o suplemento, iniciado ao 2º dia de vida, por volta dos 2 meses e meio da bebé.

O primeiro filho, o Sebastião, nascido em 2012, iniciou suplemento ao 3º dia de vida. A Carolina conseguiu manter a amamentação com suplemento até aos 4 meses, altura em que iniciou outros alimentos. Conta que, na altura, considerou um alívio visto que o aleitamento misto era bastante desgastante para ela. Apesar de considerar que a primeira experiência não correu bem, deu-lhe a força necessária para retirar o suplemento na segunda filha.

Conheçam-nas:

1d13fc_85f043986ca24825bcb3c46097136c40«Passados dois anos e meio percebi que estava grávida outra vez. Demos as boas-vindas à Mafalda em Julho deste ano. Durante a gravidez, sempre disse que faria de tudo para amamentar em exclusivo, mas que se não funcionasse daria apenas biberão. Não andaria outra vez com maminhas e biberões.

A Mafalda também nasceu de cesariana, desta vez por estar sentada… Assim que ma deram pu-la ao peito e ela fazia uma pega perfeita. Nasceu apenas com 2500g, pelo que o peso era uma preocupação e, logo nas primeiras 24h, perdeu 10%.

O pediatra que a observou nesse dia após o banho disse que ela tinha de beber suplemento, se não correríamos o risco de não ter alta… E eu assim fiz.Tivemos alta no dia devido, mas o “pânico” do suplemento vinha connosco. A determinação de acabar com isso era maior!

No entanto, a bebé só ficava satisfeita com o suplemento – de outra forma não dormia entre mamadas. A Mafalda chegou a tomar 90 ml de suplemento depois de todas as mamadas. O pior foi quando os mamilos começaram a ceder… Fiz feridas enormes, deitava sangue, as dores eram mais que muitas. Decidi tirar leite com a bomba e dar pelo biberão mais o suplemento de LA.

Quando os mamilos sararam, voltei a pô-la à mama e ela voltou a pegar. Fiquei feliz porque o receio que ela rejeitasse era muito. Quando isso funcionou, eu pensei: “se isto não nos abalou, nada mais o pode fazer!”

Estive a investigar e percebi que uma das formas de aumentar a produção de leite era o babywearing (transportar o bebé num pano/sling). E passei a fazer isso. A Mafalda começou a andar pendurada em mim todo o dia. Assim adormecia depois de mamar – depois de chorar um pouquinho (por estar tão habituada ao suplemento) lá adormecia. Notei que passou a fazer intervalos entre mamadas menores, 1:30h-2h era o máximo.

Aprendi a viver com disponibilidade total para a Mafalda, e assim conseguimos deitar fora a lata de leite.Ainda hoje, a Mafalda anda muuuuuuito pendurada em mim – apesar de muito gozo e críticas de outras pessoas.»

Ana P.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *