Mamilos de silicone, sim ou não?

Sim e Não. Sim, se forem necessários. Não, se não forem necessários.

Para sabermos se são mesmo necessários é necessário dar tempo ao bebé e à mãe. O Tempo é, sem dúvida, o que mais falta a algumas bebés e mães – seja no processo do nascimento, seja no processo da amamentação. A maioria das dificuldades resolvem-se espontaneamente ou com pouca ajuda, se for dado tempo suficiente e apoio suficiente.

Introduzir mamilos de silicone nas primeiras horas de vida põe em causa a adaptação do bebé à mama e pode comprometer o futuro da amamentação.

Claro que toda a gente prefere um bebé que mame com mamilos de silicone do que um bebé que não mama, de todo. No entanto, é preciso ter atenção a este ‘auxílio’ para que não se torne num ‘falso amigo’.

O grande problema dos mamilos silicone – especialmente quando usados sem que as mães saibam como colocar corretamente; qual o tamanho adequado à sua mama e bebé; sem acompanhamento para garantir que o bebé mama o suficiente e que se retiram logo que possível – é a ingestão insuficiente de leite.

Infelizmente, a introdução dos mamilos de silicone nas maternidades, na grande maioria dos casos, é feita de forma incorreta e sem indicação clínica. Seja porque não há tempo para apoiar aquela mãe e aquele bebé ou porque a pessoa que deve apoiar não tem treino para o fazer.

Quando são as mães a introduzir porque têm dor e feridas e não aguentam mais, eu percebo-as perfeitamente. Mas, se sentem que precisam de uns, assim que possível, contactem alguém para vos apoiar a amamentar sem dor!

Existem alguns casos em que até somos nós, conselheiras em aleitamento materno/assessoras de lactação, a sugerir o mamilo de silicone como medida temporária. Por exemplo, bebés em relactação que estão muito habituados à utilização de tetinas, bebés com freio curto que, até ser resolvido, beneficiam de um mamilo de silicone, bebés imaturos/prematuros que apresentam ausência ou fraco reflexo de sucção. Essas situações são sempre apoiadas de perto para garantir que o bebé ingere leite suficiente, que abocanha o suficiente a mama e que se aplicam medidas de suporte à produção de leite. E, assim que possível, iniciamos o ‘desmame’ dos mamilos de silicone.

A maioria das mães que começa a usar mamilos de silicone não recebe qualquer apoio e informação para que os use corretamente. Não sabem qual a melhor forma de colocar, como escolher o tamanho adequado e como promover uma pega eficaz do seu bebé.

Os bebés que usam mamilos de silicone devem mamar e pegar na mama da mesma forma que deveriam fazer sem eles!

Alguns bebés estão, na realidade, a usar o mamilo de silicone como se fosse uma tetina de biberão: só bebem o leite que sai da mama para a tetina, por ação do reflexo de ejeção de leite da mãe. Quando o reflexo termina, não conseguem ingerir mais leite – e claro que isso não é viável para ingerir calorias suficientes, ficar satisfeito e aumentar de peso. Não é raro que, quando se retiram os mamilos de silicone, os bebés comecem a mamar mais rapidamente e aumentem mais de peso, pois cansam-se menos e retiram mais leite. As mães também costumam notar aumento da produção de leite pelo mesmo motivo.

Se sente que precisa de usar mamilos de silicone ou foi sugerida a introdução de uns nas primeiras horas de vida do bebé, peça ajuda especializada! Não sabe onde encontrar esse tipo de ajuda? Procure em www.amamenta.net

Filipa dos Santos – AL, CAM OMS UNICEF

Mais informação aqui: http://porto.amamenta.net/mamilos-silicone/

One thought on “Mamilos de silicone, sim ou não?

  1. Marta Coelho says:

    Bom dia,

    A minha bebé tinha freio curto e devido a fissuras nos mamilos o pediatra aconselhou o uso de mamilos de silicone, no entanto ela habitou-se a eles e não pega de outra forma. Durante algum tempo fez também suplemento mas de repente desistiu do biberão e só quer mama. Ha forma de desmamar o uso de mamilos de silicone? Acho que ela agora tem muito mais cólicas e eu tenho muito cuidado com a alimentação…
    Cumprimentos,
    Marta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *