A mãe que amamenta não pode comer!

Pois é, a mãe que amamenta NÃO pode comer. NADA!

Se formos recolher todas as listas do mundo sobre alimentos que uma mãe a amamentar é obrigada a evitar, chegamos à conclusão que uma mãe que amamenta não come nada. Talvez pão e água? Talvez… Seguramente, alguma lista dir-lhe-á que o trigo/gluten também é de evitar…

De onde vêm estas ideias e proibições todas?!

Da ciência não é com certeza, embora sejam divulgadas em sites que parecem bastante credíveis e até por profissionais de saúde que acompanham mães e bebés da gravidez ao pós-parto.

Ao longo dos últimos 5 anos em que apoiei mães e bebés na amamentação, já vi de tudo. Inclusive mães que quase não comiam por causa destas restrições sem qualquer fundamento.

Uma mãe que amamenta precisa de se ALIMENTAR BEM. Algumas sentem tanta fome, especialmente nas primeiras semanas, que poderíamos dizer que “comem por dois”. Não é, por isso, época para restrições alimentares pseudo-científicas!

Deveríamos antes perguntar:

O que PRECISA de comer uma mãe que amamenta?

1) alimentos nutritivos, saudáveis, confecionados de forma segura, de preferência nada ou muito pouco processados, equilibrados. Já viste isto em algum lado?! Sim, é a recomendação que se faz para toda a população, crianças, adultos, idosos, todos.

2) alimentos ricos em ácidos gordos, pois está estudado que o tipo de gorduras que a mãe consome influencia o tipo de gorduras no leite materno. Alimentos ricos em ómega 3 e 6 são recomendados (Lawrence 1999, Hamosh 1996, Hamosh 1991).

3) alimentação que privilegie vitaminas do complexo B, vitamina D, cálcio, ferro e iodo (ler mais aqui).

4) hidratar-se conforme o seu corpo pede – não é preciso água em excesso por amamentar. Beber muita água NÃO aumenta a produção de leite, não existe evidência científica que o permita afirmar! As mães que amamentam devem beber a água que sentirem necessidade (Ndikom CM, Fawole B, Ilesanmi RE, 2014).

5) alimentos ricos em açúcar e gorduras trans são de EVITAR e deixar para situações ocasionais, tal como se recomenda para TODAS as pessoas.

6) se queres perder peso através da alimentação, consulta um nutricionista que tenha formação em amamentação e saiba indicar uma dieta apropriada – reduzir drasticamente a quantidade de calorias e hidratos de carbono pode levar a uma diminuição na produção de leite com consequências no aumento de peso do bebé (ler mais aqui).

Isto quer dizer que podes comer marisco, sushi, laranjas, chocolate, cebola/alho, couves, feijão, carnes fumadas, todo o tipo de queijos, morangos, etc.?

SIM! De forma equilibrada, assegurando uma confeção livre de agentes patogénicos, etc.

E o leite? Há muitas mães que retiram o leite e derivados da sua alimentação… Deve-se evitar?

NÃO (se não existe motivo)! A menos que haja suspeita ou diagnóstico de alergia à proteína do leite de vaca (APLV) no bebé, não é necessário retirar estes alimentos da alimentação da mãe. Os bebés com APLV reagem através do leite materno porque as proteínas do LV são diferentes das do LM e passam da alimentação da mãe para o leite materno (COSCIA, 2012, DENIS, 2012).

Resumindo:

A alimentação da mãe influencia QB a composição do leite materno, mas, ainda mais importante, influencia a SAÚDE daquela mulher!

Há ainda outro fator que não costuma ser tido em conta: uma família que tem por hábito uma alimentação saudável influencia os seus filhos, quando começam a comer, a ter uma alimentação saudável! Por isso, os PAIS também têm de ter atenção ao que colocam no prato e não apenas as MÃES 😉

Filipa dos Santos – Conselheira em aleitamento materno OMS UNICEF, Assessora Lactação

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *